2021: um ano para ampliar a sua visão sobre investimentos

Leia artigo exclusivo para MADE, escrito por Marina Cançado, Head de Sustainable Wealth na XP Private.

Todo final de ano é época de refletirmos sobre nossas conquistas e nossos desafios, e definirmos no que depositaremos a nossa energia no novo ciclo que se inicia. Por mais que a incerteza inerente à vida esteja sempre presente, para muitas pessoas, este ano de 2020 trouxe à tona a percepção da nossa vulnerabilidade como seres humanos e da necessidade de fortalecermos nossa capacidade de adaptação às mais imprevisíveis situações que a realidade nos impõe.

Assim como a pandemia alterou profundamente a forma de trabalharmos e convivermos, a Covid-19 também acelerou transformações que já estavam em curso no mercado financeiro. Abaixo, eu elenco duas grandes mudanças que irão moldar a forma de pensar os investimentos em 2021.

1) Daqui para frente, análises mais sistêmicas do mundo e dos negócios serão essenciais para a análise e tomada de decisão de investimento.

Sem dúvida, a pandemia reforçou o quanto somos interconectados e interdependentes. No nível individual, todos nós sentimos na pele como o nosso comportamento poderia afetar, e até mesmo, contagiar o outro. No nível coletivo, pudemos usufruir de dias de céu azul por conta da  redução global da poluição, o que também serviu para mostrar nossos impactos diários no planeta.

No mercado financeiro, a compreensão da interdependência entre as pessoas e da nossa conexão com a natureza finalmente ganhou espaço. Está ficando bem claro que as questões ambientais, sociais e climáticas podem afetar de forma relevante as chances de uma empresa prosperar e de gerar retorno para seus investidores.

Uma empresa do setor de frigoríficos, por exemplo, que não está atenta e não está buscando alternativas para lidar com as mudanças de consumo por conta do aumento expressivo na população vegetariana, provavelmente, perderá uma fatia significativa de mercado, o que pode afetar seu valor futuro. Se essa mesma empresa também não estiver considerando suas emissões de gases de efeito estufa e se preparando para taxações ou para regulamentações que estabelecem a compensação do CO2 emitido, por exemplo, provavelmente verá sua margem cair quando se deparar com esses custos adicionais.

O mercado financeiro acordou para o fato de que todas as empresas geram impactos positivos e negativos para a sociedade e meio ambiente, e que essas questões precisam ser consideradas e endereçadas para que as empresas continuem gerando valor, e, captando investidores.

Daqui para a frente,  para se recomendar ou tomar as melhores decisões de investimentos, analistas, gestores e investidores precisarão levar em conta os fatores ESG (sigla em inglês que se refere às dimensões ambientais, sociais e de governança) das empresas e ativos investidos, e a sua aderência às novas preferências da sociedade e às pressões ambientais e climáticas.

Você sabe como seus investimentos estão em relação aos fatores ESG? Pergunte para seu assessor ou gerente, ou, busque se informar. É uma ótima forma de refletir sobre os impactos que seus investimentos estão gerando no mundo e sua aderência a um mundo de mudanças aceleradas.

2) A consciência de que todos os investimentos geram impacto abre a possibilidade para que as decisões não sejam apenas financeiras, mas também busquem refletir os valores e as visões de futuro do investidor.

Investir, na essência, é colocar dinheiro no que você acredita que irá prosperar.  Ao escolher entre uma ou outra empresa, entre um ou outro ativo, estamos dizendo implicitamente em qual futuro estamos colocando nosso recurso. Você já parou para pensar que mundo está nutrindo por meio dos seus investimentos?

Entre duas empresas de um mesmo setor, se uma trata melhor seus colaboradores, se tem melhores práticas de sustentabilidade, por que não investir nela em detrimento da outra que performa pior nos fatores ESG? Se você não concorda com empresas que não dão espaço para lideranças femininas, por que continuar investindo nelas? Por que não excluir do seu portfólio empresas que não estão no caminho da inclusão e da diversidade? Se você considera que as energias limpas são chave para lidarmos com as mudanças climáticas, por que não buscar investir nesse setor?

Daqui para a frente, teremos cada vez a possibilidade de escolher com base, não apenas em risco e retorno, mas também buscando alinhamento entre onde alocamos nosso capital e nossos valores e visões do mundo. Investir, nessa década, será ponderar risco, retorno e impacto. Essa é a grande revolução em curso no mercado financeiro, acelerada pela pandemia.

Finais e inícios de anos são sempre épocas de renovarmos a esperança de sermos capazes de construirmos o futuro desejado para nós e nossas famílias. Lembre-se que seus investimentos são ferramentas importantes não só para a realização dos seus objetivos pessoais e familiares, mas também para a definição de como as próximas décadas serão. Para o próximo ano, ficam meus votos de consciência sobre a influência que podemos exercer pelas nossas escolhas. Em 2021, faça dos investimentos a sua voz e garanta que ela seja ouvida!

www.xpi.com.br


Sem comentários

Comentários estão fechados

Anuncie na MADE!

Faça o download do nosso Mídia Kit para maiores informações sobre anúncios!
Clique aqui para baixar

 

O seu portal de lifestyle que mescla conteúdos relacionados ao mercado de luxo, moda, arquitetura, design, gastronomia e turismo, entre outros assuntos.

SIGA, CURTA, COMPARTILHE