‘Stone Summit’ destaca as vantagens e diferenciais da rocha natural brasileira na arquitetura

Galeria de foto 2 Fotos
3144
3143

Estados Unidos, China, Itália, México e Espanha: apenas alguns dos países onde compradores de pedras naturais, desde empresas distribuidoras até homeowners, consomem uma grande parcela das rochas ornamentais extraídas e processadas no Brasil. Essas pedras, que se diferem de outros ‘commodities’ da construção e arquitetura por sua formação geológica (que confere resistência espetacular e beleza única aos materiais), chegam a gerar um faturamento maior que US$ 1 bilhão em exportação.

Apesar dos números expressivos de exportação, cerca de ⅔ da produção fica em solo brasileiro, sendo destinada a todos os tipos de uso: desde os projetos mais simples e residenciais até grandes obras, como aeroportos, shoppings e edifícios comerciais diversos. Porém, ao comparar o uso dos materiais a nível internacional e no mercado local, não é difícil perceber a diferença: no exterior, a pedra natural brasileira é mais valorizada do que localmente.

Buscando incentivar o diálogo entre o setor de rochas e os especificadores e, consequentemente, aumentar a demanda pelas rochas ornamentais brasileiras localmente, o ‘Stone Summit’, plataforma de impulsionamento e geração de conteúdo para o setor de rochas criada em julho deste ano, realiza seu quinto episódio nesta semana. Com o título ‘A força da pedra natural na arquitetura: Exclusividade, valorização e sustentabilidade nos projetos’, a transmissão ao vivo do evento acontecerá na quinta-feira, dia 10 de dezembro, às 16h, com a participação de arquitetos e indústrias do setor.

Para a conversa, foram convidados profissionais de renome como a arquiteta Vivian Coser, CEO, Arquiteta e Urbanista e Diretora Criativa da Vivian Coser Arquitetos Associados – que fará a mediação do evento; a diretora do Studio MK27, Suzana Glogowski, a Head de Criação da IT’S Informov, Thaís Rosa, Ana Paula Barféty, Arquiteta da Pettrus Mineração. Participarão também do evento Renata Malenza, Diretora de Marketing da Brasigran; e Ricardo Estuqui, CEO da Nobile Marmo.

A participação no evento é gratuita e as inscrições já estão disponíveis através do site www.stonesummit.com.br

Pela valorização do produto nacional

Nos últimos anos, com o surgimento de novas tecnologias para corte e processamento, além do engajamento e modernização das empresas em relação ao manejo sustentável dos materiais, as vantagens no uso das rochas ornamentais têm ficado mais em evidência para os profissionais da arquitetura.

Para a arquiteta Vivian Coser, uma das embaixadoras desses materiais no Brasil, trabalhar com rochas ornamentais é uma experiência única. À frente do escritório Vivian Coser Arquitetos Associados,  a profissional é referência no uso de pedras naturais na arquitetura. “Temos muita paixão por esse mercado e não vemos limites para nossas criações. É, com certeza, a matéria prima que mais amamos trabalhar”, afirma.

Uma das sedes do escritório de Vivian está em Vitória/ES, capital do maior estado produtor no Brasil. É também na capital capixaba que se realiza a Feira Internacional do Mármore e Granito – Vitoria Stone Fair, evento que atrai visitantes do mundo inteiro para ver de perto o potencial das rochas brasileiras.

Flávia Milaneze é diretora da Milanez & Milaneze, empresa que realiza a feira e também coordena a iniciativa ‘Stone Summit’. Ela conta que o evento pretende agregar valor e conhecimento à relação setor de rochas x especificadores, apontando caminhos e possibilidades para buscar, mais uma vez, a valorização da pedra natural brasileira.

O Stone Summit nasceu com o objetivo de promover e valorizar o uso das rochas naturais brasileiras e é isso que temos feito desde o primeiro episódio, abordando temas e desafios relevantes para o setor. Nesse contexto, não poderíamos fechar a primeira temporada do projeto sem tratar da relação entre o setor e os especificadores, profissionais capazes de agregar valor e difundir, ainda mais, o uso das pedras naturais brasileiras. Essa conversa e aproximação é muito importante”, aponta.

Vice-presidente do Centrorochas, entidade representativa das indústrias de rochas ornamentais no Brasil, Fábio Cruz também reforça a importância da aproximação com os arquitetos. “É um tema de extrema importância para o setor, pois sabemos o quanto precisamos avançar em relacionamento e educação dos especificadores quantos aos nossos materiais. Mas já estamos buscando soluções, trabalhando para atender melhor a esses profissionais, criando projetos, conteúdo educativo e iniciativas como o Stone Summit, com o objetivo de diminuir essa distância entre o nosso universo e o da arquitetura”, pontua.

O Stone Summit é uma iniciativa da Milanez & Milaneze, realizadora da Vitoria Stone Fair e da Cachoeiro Stone Fair, juntamente com as entidades setoriais Sindirochas e Centrorochas e tem apoio do Simagran CE, SinRochas MG, Revista Rochas, Cetemag e Rochativa. O quinto episódio conta com apoio do CAU/ES e  patrocínio do Sebrae-ES e da empresa italiana Pedrini S.p.A.

Sem comentários

Comentários estão fechados

Anuncie na MADE!

Faça o download do nosso Mídia Kit para maiores informações sobre anúncios!
Clique aqui para baixar

 

O seu portal de lifestyle que mescla conteúdos relacionados ao mercado de luxo, moda, arquitetura, design, gastronomia e turismo, entre outros assuntos.

SIGA, CURTA, COMPARTILHE